quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Polônia Eliminatórias Copa do Mundo 1978


Polônia - Eliminatórias Copa do Mundo 1978

5º colocada da Copa da Argentina, a Polônia foi eliminada na segunda fase, em grupo que teve a campeã Argentina, o Brasil e o Peru. Destaque para o atacante Lato, autor de 2 gols nesta Copa do Mundo e artilheiro da Copa da Alemanha-74 com 7 gols; um deles contra o Brasil, gol esse que valeu o terceiro lugar aos poloneses.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Athletic Bilbao Campeão da Copa do Rei 1972-73


Athletic Bilbao Campeão Copa do Rei 1972-73

Clube basco que não permite que atletas não nascidos ou não desenvolvidos no País Basco, Navarra ou Iparralde possam vestir sua camisa, o Athletic é um dos clubes espanhóis (ao lado de Real Madrid e Barcelona) que nunca foram rebaixados para a segunda divisão. Esta equipe do Athletic foi campeã da Copa do Rei. Destque para José Ángel Iríbar, campeão europeu pela seleção espanhola em 1964.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Vasco Campeão Carioca 1958


Vasco Campeão Carioca 1958

Em pé: Miguel, Paulinho, Bellini, Écio, Orlando e Coronel;
Agachados: Sabará, Almir, Roberto, Waldemar e Pinga.

Com uma vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo no jogo derradeiro, o Vasco se tornou Campeão Carioca de 1958, ano em que o certame ficou conhecido como "Supercampeonato Carioca".
Destaques para os campeões mundiais: Bellini (58 e 62) e Orlando (58 e 62); Almir Pernambuquinho, o "Pelé branco", e Sabará, ponta direita revelado pela Macaca campineira.

sábado, 31 de julho de 2010

Bélgica Vice-Campeã Eurocopa 1980


Bélgica Vice-Campeã Eurocopa 1980

Em pé: Jan Ceulemans, Jean Marie Pfaff, Walter Meeuws, Luc Millecamps e René Vandereycken.
Agachados: Van Moer, Erik Gerets, Julien Cools, Raymond Mommens, Michel Renquin e François Van Der Elst.

Melhor campanha da história da seleção belga na competição européia, que se iniciou com dois empates (Inglaterra e Itália) e uma vitória (Espanha) na primeira fase. Já na grande final, a derrota por 2 a 1 deu aos alemães o bi-campeonato da Euro. Destaques para o goleiro Jean-Marie Pfaff, Éric Gerets e René Vendereycken, que foram escolhidos para a seleção do torneio.



Foto: FanPicture.ru

sábado, 10 de julho de 2010

Olympique de Marselha Campeão Francês 1971-72


Olympique Campeão Francês 1971-72

Bom time da história do Olympique. Duas vezes Campeão Francês e que apenas não conseguiu destaque no cenário europeu por ter enfrentado os "gigantes" Ajax e Juventus na Taça dos Clubes Campeões Europeus (atual Liga dos Campeões) em 1971-72 e 1972073, respectivamente. 


sexta-feira, 9 de julho de 2010

Olimpico




Olímpico


Nome: Estádio Olímpico Monumental

Local: Porto Alegre, RS
Construção: 1954
Inauguração: 19 de Setembro de 1954 (55 anos)
Capacidade: 45.000
Primeira partida: Grêmio 2 x 0 Nacional
Público recorde: 98.471 (85.751 pagantes) (24 de abril de 1981) Grêmio 0 x 1 Ponte Preta

O Olímpico hoje em dia recebe, a cada partida, talvez, o maior espetáculo de uma torcida brasileira.
A atuação dos torcedores tricolores impressiona, não só pela descida frenética pelas arquibancadas a cada gol a favor, mas também por não pararem de cantar por um só segundo!

Como o título mundial de 1983 já é da época em que as disputas intercontinentais aconteciam em terras japonesas, a Libertadores do mesmo ano é o título mais importante conquistado dentro do Olimpico. Já a final da  outra Libertadores conquistada pelos gremistas se deu na Colômbia.

A grande partida deste estádio em minha recordação é a final do Campeonato Brasileiro entre Grêmio e Portuguesa, com gol do Aílton no final da partida. Jogo digno de uma final de Campeonato.


Final do Campeonato Brasileiro 1996


Estádio: Olímpico Monumental
Data: 15/12/1996

Renda: 502.151,00
Público: 42,587
Gols: Paulo Nunes e Aílton

Grêmio: Danrlei, Mauro Galvão, Rivarola, Luciano, Arce, Dinho, (Aílton), Carlos Miguel, Luiz Carlos Goiano, Émerson, (Zé Afonso), Roger, Paulo Nunes, Zé Alcino. Técnico: Luís Felipe Scolari.

Portuguesa: Clêmer, Carlos Roberto, Émerson, César e Valmir; Gallo, Capitão, Caio e Rodrigo Fabri (Tico); Alex Alves e Zé Roberto (Flávio). Técnico: Candinho

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Brasil 1 x 2 Holanda


Brasil 1 x 2 Holanda


E não é que perdemos e estamos fora da Copa do Mundo. Por essa eu não estava esperando, apesar de já saber que a partida contra os holandeses seria muito dura.

Jogamos bem todo o primeiro tempo. Fizemos um, e como disseram todos os comentaristas, poderíamos ter feito mais. Fomos superiores aos "laranjas", não os deixando à vontade em campo, e fazendo com que seus dois principais jogadores - Robben e Sneijder - pouco aparecessem, e quando o faziam, no caso de Robben, era mais por conta de seus "saltos mortais" para cavar alguma falta.

Robinho e Kaká apareciam pouco é verdade, mas quando apareciam, chegavam com perigo no gol do bom goleiro Stekelenburg. Já Luís Fabiano, pouco fez em todo o tempo que esteve em campo.

Apesar do jogo teoricamente controlado, desde a primeira etapa a seleção já apresentava sinais de nervosismo, principalmente Robinho, fato esse sem explicação.

Veio a segunda etapa e tudo mudou, também sem muita explicação. O técnico holandês deve ter feito um grande trabalho no intervalo, pois sua equipe voltou diferente, jogando mais. Mas mesmo assim uma falha da melhor defesa do mundo - Leia bem... MELHOR DEFESA DO MUNDO - determinou o empate. Júlio César e Felipe Melo bateram cabeça e deram um presente aos holandeses. O segundo gol? bom... o segundo gol saiu de umas das jogadas mais "manjadas" da história do futebol. Manjada, porém sempre eficaz. Quando acontece esse desvio no primeiro pau em escanteios, geralmente toda a marcação se perde. E foi isso que aconteceu!

Daí pra frente, o que se viu, foram: Uma expulsão imbecil do brincalhão do Felipe Melo, uma substituição sem lógica - Como tirar o centroavante da equipe, quando se está perdendo e saindo da Copa??? - e duas chances claras perdidas, é claro, pra aumentar ainda mais o drama.

Resumindo o que a Copa é pra mim agora.... Quero mais é que a Argentina se exploda!!!!



Notas do Brasil

Júlio César - 4: É uma pena... mas falhou quando não poderia. 


Maicon - 5: Deu um bom chute à gol no primeiro tempo, porém não apoiou tanto quanto poderia.

Lúcio - 5,5: Um dos poucos que mantiveram o futebol das outras partidas. Fez sua parte.
Juan - 4,5: Não jogou como no restante da Copa, sentiu o nervosismo do restante da equipe.

Michel Bastos - 4,5: Sofreu com Robben, e foi substituído para não ser expulso.

(Gilberto) - 4,5: Pouco fez, talvez tenha sido pior que Michel.

Gilberto Silva - 5,5: Eu não o teria levado à Copa. Porém, na minha opinião, fez um bom campeonato. Fez o simples o tempo todo.
Felipe Melo - 2: O seu lindo passe pro gol brasileiro foi completamente apagado por sua atitude. Foi "juvenil", "cabaço"... e talvez tenha sepultado sua carreira na seleção.
Daniel Alvez - 4: Um jogador como ele, que erra tantos passes não pode jogar no meio-campo. Arma muitos contra-ataques... pro adversário.
Kaká - 4,5: Não foi mal, mas poderia jogar mais, pois é o craque, e esse tem que ser sempre o mais cobrado.
Robinho - 4: Se preocupou muito em reclamar; com os juízes, com os holandeses. Jogar bola que é bom e decidir.... Nada.
Luís Fabiano - 3,5: Não esteve em campo. Mesmo assim sua substituição foi errada.

Nilmar - 4: Também não pegou na bola. Foi jogado pelo nosso aprendiz de treinador no meio da área, quando deveria ter entrado pra jogar pelas pontas.



BRASIL 1 x 2 HOLANDA

Brasil: Julio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos (Gilberto); Gilberto SIlva, Felipe Melo, Daniel Alves e Kaká; Robinho e Luis Fabiano (Nilmar). Técnico: Dunga.

Holanda: Stekelenburg, Van der Wiel, Heitinga, Ooijer e Van Bronckhorst; Van Bommel, De Jong, Sneijder e Kuyt; Van Persie (Huntelaar) e Robben. Técnico: Bert van Marwijk.

Gols: Robinho, aos dez minutos do primeiro tempo; Felipe Melo (contra), aos oito, e Sneijder, aos 22 minutos do segundo tempo.
Cartão amarelo: Heitinga, Van der Wiel, De Jong, Ooijer (Holanda); Michel Bastos (Brasil). Cartão vermelho: Felipe Melo (Brasil).
Estádio: Nelson Mandela Bay (em Porto Elizabeth).
Data: 02/07/2010.
Árbitro: Yuichi Nishimura (JAP). Assistentes: Toru Sagara (JAP) e Jeong Hae-Sang (COR).

terça-feira, 29 de junho de 2010

Brasil 3 x 0 Chile


Brasil 3 x 0 Chile

Me desculpem os amigos que acompanham o Blog, pela demora em postar algo sobre o jogo.

O Brasil foi o Brasil de Dunga, realmente... mas apenas pelas características positivas. Aproveitou as suas maiores virtudes para mostrar superioridade frente a seleçao chilena.

O Chile, por sua vez, deu certo trabalho nos primeiros 30 minutos de jogo, pois marcou perfeitamente a principal opção de ataque do Brasil: o lateral direito Maicon; que não subiu com "sobras" em nenhuma oportunidade!

Com essa alternativa bloqueada, a seleção centralizou as jogadas, facilitando assim a marcação chilena.

Mas aí surgiram a joga aérea, e os contra-ataques mortais... que como todos nós vimos, sepultou a esperança chilena e reacendeu a nossa esperança pelo HEXA.

Resumindo... o Dunga acertou em colocar o Ramires, que joga muita bola. Kaká é o nosso craque... Luís Fabiano é fera... Robinho vai fazer o seu gol no momento certo... Gilberto Silva querendo ou não, gostando ou não... hoje, é imprescindível... Nossa dupla de zaga, nosso goleiro e nosso lateral direiro... são, simplesmente, os melhores do mundo. E ainda temos o Nilmar no banco.

Um abraço a todos... pro próximo jogo voltam as notas e tudo mais!!!




sexta-feira, 25 de junho de 2010

Brasil 0 x 0 Portugal


Brasil 0 x 0 Portugal

Jogo difícil... até mais do que muita gente imaginava. Brasil e Portugal fizeram uma boa partida, apesar das jogadas duras, de ambas as partes.

A seleção brasileira dominou praticamente todo o primeiro tempo, tendo maior posse de bola e chegando duas vezes com perigo à meta portuguesa. E mesmo conseguindo chegar à frente, ficou claro mais uma vez, a velha dificuldade brasileira na armação de jogadas contra equipes retrancadas. O Brasil mostrou uma clara dependência de Kaká e Robinho, que são jogadores que se movimentam e procuram pela bola a todo momento. Me lembrei mais uma vez do quanto Dunga ERROU ao deixar Paulo Henrique Ganso e Ronaldinho Gaúcho em sua casas, apenas assistindo ao Mundial, pois são meias que "verticalizam" as jogadas, e procuram sempre deixar os companheiros em boas condições de marcar.

Portugal, por sua vez, não se incomodava nem um pouco com esse "domínio brasileiro", pois logo ficou visível que isso fazia parte de sua estratégia. E essa forma de jogo da seleção portuguesa se mostrou eficiente no lance em que Juan tomou seu cartão amarelo, pois o "gajo" Cristiano Ronaldo ficaria frente a frente com o goleiro Júlio César, em contra-ataque luso.

Nilmar (surpresa na escalação no lugar de Robinho), mostrou que pode ser útil a seleção no decorrer da Copa, já Júlio Baptista, deixou o torcedor brasileiro preocupado, pois não conseguiu jogar e pouco apareceu nas jogadas de ataque. Júlio Baptista este, que foi o responsável por me voltar novamente contra nosso treinador, que demorou e muito para tirá-lo de campo.

No segundo tempo, Portugal melhorou e disputou a partida de igual para igual, se lançando ao ataque, e deixando de lado a retranca "ferrenha" da primeira etapa. Nos deu um susto em mais um contra-ataque puxado por Cristiano Ronaldo, que diga se de passagem, pode não ter sido brilhante, mas mostrou maturidade e a todo tempo momento procurou jogo, incomodando e muito a zaga brasileira e sendo inclusive o melhor em campo, segundo a FIFA.

Notas do Brasil:

Júlio César - 6,5: Nas duas oportunidades em que foi exigido mostrou segurança. O maior susto que deu foi a imagem das cintas presas em sua cintura.

Maicon - 7: Muito acionado, subiu muito ataque, sendo novamente a principal opção de ataque da seleção.

Lúcio - 7,5: Como Lúcio melhorou se futebol!!! Tem jogado muita bola. Apesar de ter tido muito trabalho com Cristiano Ronaldo, quase sempre se saiu bem. E além disso, foi o principal armador da seleção! (Néééé Dunga!!!)

Juan - 6: Não foi tão bem quanto seu companheiro de zaga, dando um susto nos torcedores em um domínio perigoso dentro da área brasileira.

Michel Bastos - 5: Completamente apagado, praticamente não subiu ao ataque. Um pouco por realmente ter jogado mal, e também por não ter alguém com quem jogar ao seu lado.

Gilberto Silva - 6: Boa partida, pouco apareceu pra torcida. Porém, precisa sair mais com a bola dominada, se não nosso capitao Lúcio não para de subir ao ataque.

Felipe Melo - 4,5: Estava se saindo bem até cair na besteira de cometer a falta que originou o cartão amarelo. Saiu do jogo um pouco "queimado" com Dunga, e pra piorar, machucado. Talvez não jogue a próxima partida.

(Josué) - 6: Atuaçao discreta. Só errou um passe, já no final da partida.

Daniel Alvez - 6,5: Muuuito melhor do que contra a Costa do Marfim. Foi o único a aparecer nos momentos em que a seleção pecou pela falta de movimentação.

Júlio Baptista - 4,5: Talvez tenha mostrado a Dunga que não é boa opção para uma Copa do Mundo. Não jogou, deixando a seleção sem meio-campo.

(Ramires) - 5,5: Tem uma "alegria" nas pernas; Corre demais esse rapaz. Esse sim, sempre é boa solução.

Nilmar - 6: Bom primeiro tempo, guerreiro, sempre acredita até o fim, em todas as jogadas; E foi assim que quase marcou seu primeiro gol em Copas do Mundo.

Luís Fabiano - 5,5: Na única oportunidade que teve, fez tudo certinho; Mas por "capricho" do destino, a bola saiu triscando a trave. Foi prejudicado pela falta de um jogador de armação.

Grafite - 5: Quase não tocou na bola; sem tempo para mostrar algo de bom e de ruim.


BRASIL 0 x 0 PORTUGAL

Brasil: Julio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto SIlva, Felipe Melo (Josué), Daniel Alves e Julio Baptista (Ramires); Nilmar e Luis Fabiano (Grafite). Técnico: Dunga

Portugal: Eduardo, Ricardo Costa, Ricardo Carvalho, Bruno Alves e Fábio Coentrão; Pepe (Pedro Mendes), Tiago, Danny, Raul Meireles (Veloso), Duda (Simão); Cristiano Ronaldo. Técnico: Carlos Queiroz

Cartões amarelos: Duda, Tiago, Pepe, Coentrão (Portugal); Luis Fabiano, Juan, Felipe Melo (Brasil).


Estádio: Moses Mabhida (em Durban).
Data: 25/06/2010
Árbitro: Benito Archundia (MEX). Assistentes: Marvin Torrentera (MEX) e Hector Vergara (CAN). Público: 62.712.



terça-feira, 22 de junho de 2010

Nigéria Campeã Olímpica 1996 - Atlanta


Nigéria Campeã Olímpica 1996 - Atlanta

Melhor seleção da história da Nigéria, essa equipe venceu o torneio olímpico batendo o Brasil na semi-final, em inesquecíveis 4 a 3, e a Argentina na grande decisão por 3 a 2.

Essa foi a base da seleção nigeriana que participou da Copa de 1998, em que o grande momento dos africanos foi a vitória por 3 a 2 sobre a Espanha.

Destaque para o camisa 10, Okocha, que jogava muita bola; e é claro para o Kanu, talvez, o jogador nigeriano mais conhecido pelo grande público.

domingo, 20 de junho de 2010

Brasil 3 x 1 Costa do Marfim


Brasil 3 x 1 Costa do Marfim

Grande partida da seleção brasileira nesta tarde de domingo (noite na África do Sul). O jogo começou com os "elefantes" dominando o meio-campo, tendo maior posse de bola e, marcando muito bem a melhor opção ofensiva da nossa seleção; as laterais. Essa eficiência dos africanos na marcação dos laterais Maicon e Michel Bastos perdurou por toda a partida, porém nao foi suficiente ao longo do tempo para deter o Brasil.

Kaká iniciou este jogo como o anterior, sendo desarmado facilmente pelos marcadores por duas ou três vezes. Porém, essa má atuação inicial não durou por muito tempo, e logo depois, o mesmo Kaká, colocou Luís Fabiano cara a cara com o goleiro Barry, e este não desperdiçou; 1 a 0 Brasil.

Logo no começo da segunta etapa, o camisa nove brasileiro marcou mais um e  Elano, fechou o placar. O mais importante é que o Brasil jogou muito bem, não deu muitas chances pra Costa do Marfim nos assustar e venceu, se classificando já na segunda rodada.

A vitória passa confiança a torcida, e faz todos relembrarmos que esta seleção do Dunga está acostumada a vencer. A mim, confirmou os pensamentos que tinha a algum tempo; A de que esta equipe quando entra em campo sabe o que tem de fazer para vencer, e que não "pipoca" pra ninguém.

E pra terminar, apesar de não ser um "fã incondicional" do futebol do meia Elano, tomara que ele não tenha se machucado gravemente. Seria um pecado nesse momento, a seleção ter que mudar sua escalação.

Notas do Brasil:

Júlio César - 6: Mais uma vez não foi muito exigido, mas quando o foi, mostrou a segurança de sempre.

Maicon - 5,5: Foi muito bem marcado pelos marfinenses, mas desta vez não deu espaços no setor defensivo.

Lúcio - 6,5: O nosso capitão está muito bem! Não perdeu uma jogada.

Juan - 6,5: Tecnicamente, é um dos melhores zagueiros que já vi, joga muuuita bola!!!

Michel Bastos - 6: Também foi bem marcado, mas subiu mais que Maicon. Deu bobeira junto com Felipe Melo no gol da Costa do Marfim

Gilberto Silva - 6: Quase não ouvi seu nome, o que é muito bom sinal.

Felipe Melo - 6: Jogou duro assim como os adversários, mas não viu Drogba passar em suas costas no gol adversário.

Elano - 7: Hoje é muito importante para a seleção, apesar de não aparecer tanto. E fez seu segundo gol na Copa do Mundo.

(Daniel Alves) - 5: Destoou do restante da equipe. Errou passes em demasia, um deles originou o lance do gol marfinense.

Kaká - 7,5: Para mim fez o que se espera dele; Procurou o jogo e deu assistência para dois gols.

Robinho - 7,5: Vem jogando muito bem, diferente do Robinho "apático" que víamos nos últimos tempos de seleção.

Ramirez - 5,5: Mais uma vez pouco tempo.

Luís Fabiano - 8,5: Dois gols em um jogo de Copa não é pra qualquer um. Mostrou porque é unanimidade com a camisa nove da seleção.


BRASIL 3 x 1 COSTA DO MARFIM

Brasil: Julio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto SIlva, Felipe Melo, Elano (Daniel Alves); e Kaká; Robinho (Ramires) e Luis Fabiano. Técnico: Dunga.

Costa do Marfim: Boubacar Barry, Demel, Kolo Touré, Zokora e Tiéné; Yaya Touré, Eboué e Tioté; Dindane (Gervinho), Drogba e Kalou (Keita). Técnico: Sven-Goran Eriksson.

Gols: Luis Fabiano, aos 24 minutos do primeiro tempo; Luis Fabiano, aos seis, Elano, aos 17, e Drogba, aos 33 minutos do segundo tempo.
Cartão amarelo: Tiéné, Keita, Tioté e Kaká. Cartão vermelho: Kaká.
Estádio: Soccer City (em Joanesburgo).
Data: 20/06/2010.
Árbitro: Stephane Lannoy (FRA). Assistentes: Eric Dansault e Laurent Ugo (FRA).
Público: 84.455.



terça-feira, 15 de junho de 2010

Estréia Brasileira... Brasil 2 x 1 Coréia do Norte


Brasil 2 x 1 Coréia do Norte 

E acabou a primeira partida da seleçao brasileira na Copa da África. Como qualquer outro brasileiro, tenho direito de expressar minha opinião a respeito.

Definitivamente a seleção não me empolga! Torci e muito, mas sem aquele entusiasmo que me acompanhou outrora.

Com 10 minutos de partida só conseguia pensar que a seleção não tem um meia-armador, e que o nosso "grande" treinador Dunga deixou o Paulo Henrique Ganso apenas assistindo o Mundial.
Era nítida a dificuldade da equipe brasileira em penetrar na retranca norte-coreana; Sem a movimentação dos jogadores de meio e ataque, e com o principal jogador, Kaká, sem ritmo de jogo e errando muitos passes.

Apenas Robinho, se destacava, por ser o único a procurar o jogo. Assim foi o primeiro tempo, com Kaká... mal; Luís Fabiano... mal; Elano...bom...depender do Elano é complicado... deixa pra lá.
No segundo tempo a seleçao melhorou, Kaká acordou, se movimentou, e junto com Robinho criou as principais jogadas de ataque. Os dois laterais apareceram mais, e mostraram que pela dificuldade da seleção em se infiltrar em defesas fechadas, serão muito importantes no decorrer da Copa.

Poderíamos e deveríamos ter feito mais. Fica essa sensação para mim de que não cumprimos com nossa obrigação, que era vencer e bem!!!

Notas do Brasil:

Júlio César - 5: Quase não participou da partida, talvez por isso, sem ritmo, não saiu do gol em um contra-ataque da seleção norte-coreana.

Maicon - 5,5: Apesar do gol, não teve uma grande atuação e deu muitos espaços no setor defensivo, inclusive no lance do gol adversário.

Lúcio - 5: Raçudo e grande líder, mas não tão brilhante como em outras partidas.

Juan - 6: Boa atuação, mantendo a categoria de sempre; Evitou gol norte-coreano em contra-ataque no 2º tempo.

Michel Bastos - 5,5 : Nas poucas vezes que subiu ao ataque mostrou o futebol que o levou a Copa.

Gilberto Silva - 5,5 : Discretíssimo, quase não apareceu na transmissão; Para um primeiro volante, bom sinal, apesar de não ter acompanhado o autor do gol no lance.



Felipe Melo - 5,5 : Partida regular, tem futebol pra aparecer mais no campo de ataque.
 
(Ramires) - 5: Pouco tempo.

Elano - 5,5: Poderia ter aparecido mais para o jogo, boa finalização no 2º gol.

(Daniel Alves) - 5: Pouco tempo também.

Kaká - 6: Primeiro tempo apagado, mas mostrou na segunda etapa o quanto é importante para a seleção. A melhora da seleção passou por diretamente por ele.

(Nilmar) - 6: Deu mais movimentação no pouco tempo que esteve em campo; Joga muita bola e sua velocidade vai ajudar e muito a seleção.

Robinho - 7: Melhor em campo; Foi o único a se apresentar para o jogo na primeira etapa. Não sentiu o peso da estréia.

Luís Fabiano - 5: 90 minutos em campo e apenas uma boa jogada. Pode e tem que melhorar; A seleção depende e muito de seus gols.

Dunga - 8: Pelas alterações, mostrou que queria mais gols, apesar das alterações serem um pouco atrasadas. E sempre um 4: Pela convocação.



BRASIL 2 X 1 COREIA DO NORTE

Brasil: Julio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan e Michel Bastos; Gilberto SIlva, Felipe Melo (Ramires), Elano (Daniel Alves) e Kaká (Nilmar); Robinho e Luis Fabiano Técnico: Dunga.

Coréia do Norte: Myonge Guk, Jong Hyok, Chol Jin, Jun Il, Nam Chol e Kwang Chon; In Guk (Kum Il), Yun Nam, Yong Jo e Yong Hak; Tae Se Técnico: Kim Jong Hun

Gols: Maicon, aos dez, Elano, aos 26, e Yun Nam, aos 43 minutos do segundo tempo
Cartão amarelo: Ramires
Estádio: Ellis Park (em Joanesburgo).
Data: 15/06/2010
Árbitro: Viktor Kassai (HUN). Assistentes: Gabor Eros e Tibor Vamos (HUN)

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Denílson... e o Exército Turco


Denílson... e o Exército Turco

Uma das imagens mais marcantes da Copa da Coréia e do Japão-2002... Denílson carrega a bola já no finalzinho da semi-final, 1 a 0 para o Brasil... e de repente... 4 turcos o cercam em busca da bola.

Foto: Revista Placar

terça-feira, 1 de junho de 2010

Botafogo Campeão Carioca 1962


Botafogo Campeão Carioca 1962

Em pé: Paulistinha, Manga, Nadir,Nilton Santos, Airton e Rildo;
Agachados: Garrincha, Edson, Quarentinha, Amarildo e Zagallo.

Com 4 jogadores campeões do mundo pela seleção brasileira na Copa de 62, o Botafogo foi Campeão Carioca em cima do Flamengo, após vitória por 3 a 0. Garrinha foi o destaque da partida, com 2 gols


BOTAFOGO 3 x 0 FLAMENGO


Data: 15 / 12 / 1962
Local: Maracanã (Rio de Janeiro)
Público: 158.994 (147.043 pagantes)
Árbitro: Armando Marques
Gols: 1° tempo: Botafogo 2 a 0, Garrincha e Vanderlei (contra); Final: Botafogo 3 a 0, Garrincha
Botafogo: Manga, Paulistinha, Jadir, Nílton Santos e Rildo; Ayrton e Édison; Garrincha, Quarentinha, Amarildo e Zagallo. Técnico: Marinho Rodrigues.

Flamengo: Fernando, Joubert, Vanderlei, Décio Crespo e Jordan; Carlinhos e Nelsinho; Espanhol, Henrique, Dida e Gérson. Técnico: Flávio Costa.

Obs: Dida e Paulistinha foram expulsos.
Fonte: Jornal dos Sports de 16-12 e 28-12-1962

domingo, 16 de maio de 2010

domingo, 9 de maio de 2010

Brasil Copa do Mundo 2006 x Austrália


Brasil Copa do Mundo 2006 x Austrália


Brasil 2 x 0 Austrália

Data: 18 de junho - segunda-feira - 12:00h

Local: Allianz Arena, Munique

Público: 59.416

Árbitro: Markus Merk (Alemanha)

Assistentes: C. Schraer (Alemanh a) e J. H. Salver (Alemanha)



Gols: Adriano (3 minutos do 1º tempo) e Fred (43 minutos do 1º tempo)

BRASIL: Dida, Cafu, Lúcio, Juan, Roberto Carlos; Émerson (Gilberto Silva), Zé Roberto, Kaká, Ronaldinho Gaúcho; Ronaldo (Robinho) e Adriano (Fred) Técnico: Carlos Alberto Parreira.

AUSTRÁLIA: Schwarzer, Emerton, Neill, Moore (Aloisi), Popovic (Bresciano), Chipperfield, Culina, Vince Grella, Cahill (Kewell), Sterjovski e Viduka. Técnico: Guus Hiddink.
Cartões amarelos: Cafu, Robinho e Ronaldo (Brasil); Emerton e Culina (Austrália)

ERRATA: Foto da equipe brasileira no confronto contra a Austrália, e não contra Gana, como foi postado anteriormente.

sábado, 1 de maio de 2010

Portuguesa 1969


Portuguesa 1969

Em pé: Guaraci, Paes, Zé Maria, Marinho Peres, Orlando Gato Preto e Américo;
Agachados: Valdomiro, Basílio, Leivinha, Lorico e Rodrigues.

Bom Time da Lusa que contava com 3 jogadores de Copa do Mundo: Zé Maria (Copa de 70 e 74), Leivinha (Copa de 74) e Marinho Peres (Copa de 74). Além de Basílio, o eterno e original "Pé de Anjo" da Fiel.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Sampdoria Vice-Campeã Champions League 1991-92



Sampdoria Vice-Campeã Champions League 1991-92


Em pé: Katanec, Pagliuca, Lanna, Lombardo, Cerezo e Mancini;
Agachados: Vierchowod, Mannini, Bonetti, Vialli e Pari.

No templo do futebol inglês, chamado Wembley, Barcelona e Sampdoria fizeram a final da Champions League 1991-92. Vitória do Barça, por 1 a 0, gol de Ronald Koeman na prorrogação. Grande equipe esta da Samp, que protagonizou a melhor colocação do clube na história da competição continental. Destaque para o goleiro Pagliuca, titular da Copa de 94; Para Vialli, Mancini e Vierchowod, que juntos com o mesmo Pagliuca, fizeram parte do grupo italiano na Copa de 90; e é claro, Toninho Cerezo, "jogadoraço" que no mesmo ano, seria Campeão do Mundo, pelo São Paulo, contra o mesmo Barcelona.

França Torneio da França 1998


França Torneio da França 1998

Data: 03.06.1997

Competição: Torneio da França
País: Lyon, França
Estádio: Gerland
Árbitro: M. Kim Milton Nielsen [Dinamarca]
Gols: Roberto Carlos (21') ,  Keller (59')

Brasil: Taffarel, Cafu, Célio Silva, Aldair (Gonçalves 87'), Roberto Carlos, Dunga, Mauro Silva, Leonardo, Giovanni (Djalminha 72'), Romário (Paulo Nunes 79'), Ronaldo.

França: Barthez, Candela, Blanc, Desailly (Thuram, 65'), Lizarazu, Karembeu (Vieira, 14'), Deschamps, Ba, Zidane, Pires (Keller, 46'), Maurice.

Prévia da Final da Copa da França, essa partida do Torneio da França-97 ficou mais conhecida pelo belíssimo gol de falta do Roberto Carlos. O Brasil, além do empate contra os franceses, empatou também com a Itália, e venceu a Inglaterra. Dos 26 jogadores que partiparam da partida, 15 participaram também da decisão do Mundial do ano seguinte. 7 pelo lado brasileiro e 8 pelos francês.
Não é preciso falar muito sobre a equipe francesa. Tinha um Gênio (Zidane), e muitos bons jogadores (Desailly, Deschamps, Blanc, Pires, Vieira, Thuram).

domingo, 18 de abril de 2010

Atlético Mineiro Campeão Mineiro 1978


Atlético Campeão Mineiro 1978

Em pé: João Leite, Toninho Cerezo, Vantuir, Márcio, Alvez e Valdemir;
Agachados: Marinho, Ângelo, Reinaldo, Paulo Isidoro e Ziza.

Início da hegemonia do Galo no Campeonato Mineiro, que chegou ao hexacampeonato em 1983.
Mesmo tendo o desfalque do craque Reinaldo durante o campeonato, o Atlético confirmou o título em uma vitória sobre o Valério por 2 a 0.

Além dessa sequência de títulos mineiros, essa grande equipe atleticana chegou a dois vices-campeonatos brasileiros (77 e 80), perdendo nas finais para São Paulo e Flamengo, respectivamente. E cedeu a seleção brasileira Reinaldo (Copa-78), Toninho Cerezo e Paulo Isidoro (Copa-82), e, Éder e Luizinho (Copa 82), que se juntaram a esse time nos anos seguintes.

Foto: Posters de Times Campeões

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Lyon Vice-Campeão Francês 2000-01


Lyon Vice-Campeão Francês 2000-01


Em pé: Coupet, Bak, Chanelet, Sonny Anderson, Laville e Dhorasoo;
Agachados: Marlet, Blanc, Laigle, Violeau e Malbranque.

Equipe do Lyon da temporada 2000-01,  base do time que conquistou 7 títulos seguidos do Campeonato Francês (2001-02 a 2007-08). Destaque para o brasileiro Sonny Anderson (bom atacante, porém sem tanto destaque na nossa seleção), e ao goleiro Coupet (eterno reserva do Barthez na seleção francesa, apesar de ser "mais goleiro").

Uruguai Eliminatórias Copa do Mundo 2002



Uruguai Eliminatórias Copa do Mundo 2002


Em pé: Lembo, Dario Silva, Fabian Carini, De los Santos e Paolo Montero;
Agachados: Olivera, Alvaro Recoba, Romero, Pablo Garcia, Gianni Guigou, Washington Tais.

Equipe uruguaia postada antes do empate em 1 a 1 frente ao Equador, no Estádio Nacional de Quito.

Boa seleção, mas que não conseguiu passar da primeira fase da Copa da Coréia do Sul/Japão. Contava com bons jogadores, como o goleiro Carini (atualmente no Atlético-Mg), que poderia ter tido uma carreira de maior destaque no futebol europeu, se não tivesse ficado tanto tempo na reserva da Juventus; Paolo Montero, ídolo e capitão da mesma Juventus por muitos anos; Dario Silva, bom atacante, rápido, que inclusive fez o gol do empate uruguaio contra o Brasil, no Maracanã, pela mesma eliminatória. E que em 2006, infelizmente perdeu parte da perna esquerda, após sofrer um acidente de carro; e Recoba, o craque da equipe, mas que nunca conseguiu corresponder as expectativas acerca do seu futebol, tanto na Inter de Milão, quanto na seleção.

Foto: Revista Kicker 

América-RN Campeão Potiguar 1982


América-RN Campeão Potiguar 1982


Em pé: Saraiva, Lúcio, Ivan, Rafael, Baltazar e Vassil;
Agachados: Curió, Ailton, Silva, Gílson e Severino.

Tetra-campeonato do América, invicto, o Dragão venceu os 3 turnos do Campeonato Potiguar, sem maiores dificuldades.

Foto: MemorialdoDragão.blogspot.com

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Ponte Preta: Despedida Melancólica


Mogi Mirim 1 x 0 Ponte Preta

Em um jogo fraquíssimo, e sem demonstrar a menor gana de vencer, a Macaquinha terminou a primeira fase do Campeonato Paulista se arrastando. Depois de fracassar em casa contra equipes muito fracas, que lutavam para fugir do rebaixamento, como: Sertãozinho, Oeste e mais recentemente, Mirassol; a equipe campineira foi a Mogi "cumprir tabela", como bem diz o futebolês.
Sem brilho algum, Ponte e Mogi fizeram uma partida preguiçosa, que só foi alterada no gol do time da casa, já aos 35 da etapa complementar. O que poderia ser um prêmio de consolação, a classificação para o Torneio do Interior, parece não animar a Ponte Preta e os seus torcedores.

Hoje, como pontepretano, não tenho confiança em boa campanha no Brasileiro da Série B. Vejo um clube sem ambições, que peca pela mesmice que acompanha o futebol brasileiro, como trocar de treinador a cada má campanha. O problema da Ponte Preta não era o Sérgio Guedes, e sim ter um elenco fraco.
Quando se encontra jogadores de boa qualidade, como o chileno Renato Gonzáles, o zagueiro Diego e o meia Tinga, o que acontece? Acontece outra situação que já estamos acostumados a ver. O jogador se destaca, e os times grandes "crescem os olhos" pra cima deles, nada mais natural. O volante Tinga, modéstia parte, já demonstrava (e já me chamava a atenção), na Copa São Paulo de Juniores de 2009, o bom futebol que encantou a imprensa paulistana na vitória sobre o Palmeiras, no Palestra Itália. E que chamou a atenção até de Rogério Ceni (fato que talvez só os jornalistas de Campinas saibam), na derrota para o São Paulo no Majestoso.

Pois é, o Tinga muito provavelmente, não começa o Campeonato Brasileiro pela Ponte. Santos, Palmeiras e Internacional, são os prováveis destinos do garoto de apenas 19 anos. Como sofredores que somos, pontepretanos, somos vacinados quanto a essas coisas do futebol. E seguimos cantando... POOOONTEEEEEEEEE.........

Gustavo Teixeira


Texto postado no excelente blog Corneta Clube.
Link do post: http://cornetaclube.blogspot.com/2010/04/ponte-preta-despedida-melancolica.html


FICHA TÉCNICA

Local: Estádio Romildo Vitor Gomes Ferreira, em Mogi Mirim-SP.
Renda: R$ 8.759,00
Público: 387 pagantes
Árbitro: Élcio Paschoal Borborema
Cartões amarelos: Galiardo (Ponte) e Ricardo Oliveira (Mogi Mirim)
Cartão vermelho: Deda (Ponte)
Gol: Fernando Gabriel, aos 35 minutos do segundo tempo.

Mogi Mirim
Alex Alves; Niel (Éverton), Audálio, Anderson e Raí; Ricardo Oliveira, Baraka, Luís Mário (Fernando Gabriel) e Elias; Zulu (Marcelo) e Geovane.
Técnico: José Carlos Serrão.

Ponte Preta
Eduardo Martini; André Rocha, Guilherme, Léo Oliveira (Evaldo) e Vicente; Deda, Galiardo (Marcos Rocha), Pirão e Renato González; Marcelo Soares (Daniel Costa) e Finazzi.
Técnico: Carlos Gallo (interino).

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Camarões - Grupo E


Camarões Eliminatórias Copa do Mundo 2010


Em pé: Andre Bikey, Achille Webo, Modeste Mbami, Atchoyi Somen, Samuel Eto"o, Idriss Kameni e Rigobert Song;
Agachados: Geremi, Daniel Kome, Jean Makoun e Benoit Assou-Ekotto.

Opinião do Blog: Também voltando aos Mundiais, após a ausência da Copa da Alemanha, a seleção camaronesa vem decepcionando nas Copas desde 94. Teve como melhor participação as quartas-de-final da Copa da Itália-90. Kameni é um bom goleiro, Geremi e o zagueiro Song são muito experientes, e conta com - na minha modesta opinião - uma craque de bola chamado Samuel Eto'o, e sobre recaem todas as esperanças de uma classificação à segunda fase. Será uma grande disputa com Japão e Dinamarca para tal.

Japão - Grupo E


Japão Eliminatórias Copa do Mundo 2010


Em pé: Seigo Narazaki, Yuki Abe, Yuji Nakazawa, Shunsuke Nakamura, Marcus Tulio e Yasuyuki Konno;
Agachados: Hideo Hashimoto, Shinji Okazaki, Atsuto Uchida, Kengo Nakamura e Keiji Tamada.

Opinião do Blog: Sem contar com a força da torcida, o que ocorreu na Copa de 2002, o Japão não deve repetir as classificações à segunda fase de 2002 e 2006. Não tem um craque como tem Camarões (Eto'o), e não conta com a experiência dinamarquesa. Tem bons jogadores, como o meia Nakamura (Espanyol) e o atacante Honda (CSKA Moscou), o que talvez não seja suficiente para uma boa campanha na África do Sul.

Dinamarca - Grupo E


Dinamarca - Eliminatórias Copa do Mundo 2010

Em pé: Sorensen, Simon Kjaer, Nicklas Bendtner, Jon Dahl Tomasson, Anders Moller-Christensen e William Kvist.;
Agachados: Martin Jorgensen, Christian Poulsen, Rommedahl, Lars Jacobsen e Jakob Polsen

Opinião do Blog: Com alguns remanescentes da Copa de 2002 - Tomasson, Rommedahl e Sorensen -, a Dinamarca volta aos Campeonatos Mundiais após a ausência da última Copa. Longe de ser comparada a "Dinamáquina" de 86, a seleção escandinava deve disputar a segunda posição de seu grupo contando com os gols de Bendtner. Tirando o goleador do Arsenal, a Dinamarca carece de talento, o que pode fazer a diferença, principalmente se conseguir passar a segunda fase.

Holanda - Grupo E


Holanda - Eliminatórias Copa do Mundo 2010


Em pé: Stekelenburg, Heitinga, Mathijsen, Dirk Kuyt, Van Bommel e Robin van Persie;
Agachados: Eljero Elia, De Jong, Van der Wiel, Giovanni van Bronckhorst e Rafael van der Vaart.

Opinião do Blog: A Laranja Mecânica chega ao Mundial da África do Sul invicta desde setembro de 2008. Tem jogadores de meio e ataque muito talentosos, como: Sneijder - que está jogando muita bola -, Van der Vaart, Robben e Van Persie. Se deixar de lado o velho estigma de "pipocar" em Campeonatos Mundiais, vai dar trabalho as grandes seleções. Mesmo estando em um dos grupos mais equilibrados, deve passar com facilidade à segunda fase. E se levarmos em conta apenas os nomes, a Holanda chegará ao menos as quartas de final. Pena para eles que o goleiraço Van der Sar não quer mais jogar na seleção, pois esse pega muito e é um dos melhores goleiros que vi. 

terça-feira, 6 de abril de 2010

Washington é titular do São Paulo


Washington é titular do São Paulo


Foi só o São Paulo golear o Botafogo de Ribeirão no domingo, com Dagoberto e Fernandinho no ataque, para alguns dizerem que o problema da lentidão na equipe do São Paulo estava resolvido. Mas ora, a dois jogos atrás, no jogo contra o Bragantino, o problema foi a falta do Washington. O centroavante grandalhão é titular do São Paulo. Falta de velocidade da equipe tricolor acontece na transição do meio para o ataque. Com 4 bons jogadores no meio-campo (Rodrigo Souto, Hernanes, Léo Lima e Cléber Santana), mas sem nenhum deles ter essa característica de dar velocidade a saída de jogo, o São Paulo se tornou moroso, previsível. Se Marlos, pelo bom futebol apresentado no domigo, merece uma chance entre os titulares, ótimo. Mas a alteração a ser feita é no meio, entrando no lugar de um dos quatro jogadores acima. E Dagoberto e Fernandinho brigarão entre si pela segunda vaga no ataque. Pelos gols que já fez no ano passado, e também nesse ano, Washington, o "Coração Valente, ou o "Mega Massa", como diz o jornalista de Campinas Carlos Baptista, é titularíssimo do São Paulo.

Atlético de Madrid Campeão Espanhol 1972-73



Atlético de Madrid Campeão Espanhol 1972-73

Em pé: Melo, Iglesias, Quique, Pacheco, Adelardo e Benegas;
Agachados: Ufarte, Luis, Gárate, Irureta e Alberto.

8º título espanhol da história do Atlético de Madrid, a conquista deu a equipe o direito de disputar a Copa dos Campeões (hoje Champions League) no ano seguinte. Copa dos Campeões esta que teve como ganhador o Bayern de Munique, de Beckenbauer, e que abriu mão da disputa intercontinental contra o Independiente. Em seu lugar, o vice Atlético perdeu a primeira partida na Argentina por 1 a 0, mas venceu na volta por 2 a 0, e se sagrou Campeão Mundial sem ter vencido o torneio europeu. Destaque para Ufarte (que jogou por Corinthians e Flamengo), Adelardo (estes dois jogaram a Copa de 66 pela Espanha) e Luis, mais conhecido hoje como Luis Aragonés, que na conquista mundial em 74 já era o treinador da equipe.


segunda-feira, 5 de abril de 2010

Roberto Carlos na seleção brasileira?!




Pela primeira vez neste blog, dedico um post para "apenas" opinar, deixando um pouco de lado os meus pôsters, imagens de futebol em geral. Contagiado pelo que ouço e vejo nos muitos programas esportivos do nosso país, também me sinto no direito de divulgar minhas opiniões a respeito do que acontece no nosso esporte bretão. Espero ter o retorno dos visitantes deste humide blog, com suas visões sobre o que escrevo.

Então... para começar, um assunto que começa a ganhar força entre os "entendidos" do futebol. Hoje pela manhã no programa Redação Sportv, o apresentador e bom jornalista André Rizek, com a participação do repórter Carlos Cereto (de quem sou fã) e do também - agora - apresentador Alex Escobar, levantaram a discussão. Roberto Carlos está merecendo a convocação para a Copa da Àfrica?

Entre eles, prevaleceu a opinião de que o lateral-esquerdo corinthiano está sim, jogando futebol suficiente para tal e se apresenta em plena forma física, apesar de seus próximos 37 anos (no dia 10 de abril). Para mim, está mais do que clara a oportunidade que se apresenta ao Roberto Carlos. Além da sua performance ter melhorado e muito nos últimos 4, 5 jogos pelo Corinthians, o seu condicionamento físico, sua história pela seleção, e principalmente, a dificuldade dos laterais convocados até agora pelo técnico Dunga em se estabelecerem com a camisa 6, abrem as portas de mais uma Copa do Mundo para o penta-campeão mundial. É válido lembrar que dos últimos convocados, Michel Bastos, Gilberto, André Santos, nenhum está atuando em seu clubes na lateral-esquerda. Michel e Gilberto são meias, no Lyon e no Cruzeiro, respectivamente, e André é ala no Fenerbache.

Resta também, torcer para que o treinador da seleção esteja acompanhando os campeonatos estaduais, e não enxergue o Roberto Carlos com preconceito, por ser remanescente e um dos líderes da seleção brasileira na Copa da Alemanha.

Este rélez blogueiro espera o comentário de todos.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Santos Campeonato Brasileiro 1999


Santos Campeonato Brasileiro 1999


Em pé: Andrei, Élson, Cláudio, Narciso, Gustavo Nery e Zetti;
Agachados: Rodrigão, Lúcio, Michel, Eduardo Marques e Dodô.

Time do Santos que disputou o Campeonato Brasileiro de 1999. Bom time, mas que não conseguiu avançar a segunda fase do Brasileirão. Contava com experientes jogadores como, Zetti, Narciso e Élson, mas também com jovens valores, Dodô, Gustavo Nery, Rodrigão.
Eu vi essa equipe jogar aqui no Moisés Lucarelli. Vitória da Macaca por 2 a 0, gols do meia Piá "El Matador" e do volante Vaguinho. E o Dodô, craque da equipe na época, apesar de já ter o grande talento reconhecido por todos, não jogou nada e quase não pegou na bola.

Foto: Revista Placar

Olímpico de Munique






Estádio Olímpico de Munique

Nome: Olympiastadion
Local: Munique, Baviera
Inauguração: 26 de Maio de 1972
Proprietário: Governo do Estado da Baviera
Capacidade: 69.250 espectadores
Primeira partida: Alemanha Ocidental x União Soviética
Primeiro Gol: Gerd Muller



O Estádo Olímpico de Munique foi construído para os Jogos Olímpicos de Munique de 1972. Foi inaugurado 3 meses antes dos Jogos, em uma partida da seleção alemã contra a União Soviética. Foi palco também de grandes finais, como, da Copa do Mundo de 1974, vitória dos alemães em cima da Holanda de Cruiff por 2 a 1; final da Euro-88, com vitória dos holandeses sobre a União Soviética por 2 a 0; e de 3 finais de Champions League, em 1979 (Nottingham Forest Campeão), 1993 (Olympique de Marselha Campeão), e 1997 (Borussia Dortmund Campeão). Desde 2005, com a inauguração da Allianz Arena, não recebe mais os jogos do Bayern de Munique e do Munique 1860. Infelizmente, pois para mim o Olímpico de Munique é um dos mais belos estádios do mundo.

Brasil Copa do Mundo do México 1970



Brasil - Preparação Copa do Mundo de 1970


Em pé: Rogério (Olheiro), Cláudio Coutinho (Prep. Físico), Parreira (Prep. Físico), Félix, Joel, Leão, Fontana, Brito, Clodoaldo, Zagallo e Admildo Chirol (Prep. Físico);
Agachados: Mário Américo (Massag.), Rivellino, Carlos Alberto Torres, Baldocchi, Piazza, Everaldo, Paulo César Caju, Tostão, Marco Antônio e Ado;
Sentados: Edu, Zé Maria, Dadá Maravilha, Gérson, Roberto, Jairzinho, Pelé e Nocaute Jack (Massag.).

Talvez a mais linda foto de meu arquivo. A seleção brasileira em sua preparação para a Copa de 70, já em terras mexicanas. Maravilhosa equipe que encantou o mundo todo com lindos gols, partidas inesquecíveis e um futebol quase inigualável.

Foto: desenvolvimento.miltonneves.com.br

Liverpool Campeão Inglês 1979-80


Liverpool Campeão Inglês 1979-80

Elenco do Liverpool Campeão Inglês da temporada 1979-80, e que na temporada seguinte (1980-81) levou a Champions League pra casa, batendo o poderoso Real Madrid por 1 a 0 no Parc des Princes, em Paris

terça-feira, 30 de março de 2010

Argentina Campeã Copa América 1991



Argentina - Campeã Copa América 1991

Em pé: Fabian Basualdo, Gustavo Zapata, Vásquez, Goycochea, Carlos Enrique, Oscar Ruggeri;
Agachados: Caniggia, Simeone, Batistuta, Leonardo Rodríguez , Astrada.


Seleção argentina campeã sem Diego Maradona, que ficou afastado da por 3 anos no início da década de 90, só voltando ao selecionado nacional pouco antes da Copa do Mundo de 1994.